Jornalismo de Viagens

O Espírito Livre Trips é um blog criado para compartilhar com você minhas viagens, e mais do que falar coisas legais sobre os lugares visitados, meu objetivo é ir além, provocar reflexões e praticar uma especialidade dentro do jornalismo pouco difundida no Brasil: o Jornalismo de Viagens.

Afinal, o que é Jornalismo de Viagens? A maioria das pessoas responde rápido: “é tipo um turismo, não é? É fazer reportagens sobre lugares bonitos”. Engana-se quem pensa assim, mas não porque as pessoas são mal informadas, e sim porque simplesmente quase não há estudos sobre o tema no nosso país.

Diferente do Jornalismo de Turismo, o Jornalismo de Viagens não tem como objetivo principal “vender” lugares paradisíacos ou que estão em alta, ou seja, não tem como objetivo promover lugares. O objetivo do Jornalismo de Viagens é reportar do que são feitos todos os lugares: pontos positivos e pontos negativos. Aspectos sociais e ambientais, políticos e econômicos, históricos e antropológicos, culturais e religiosos.

Fazer denúncias também é parte importante dessa especialização. O Jornalismo de Viagens busca a profundidade e a heterogeneidade de assuntos que um único lugar pode gerar, e mais do que isso, busca conhecer o “outro”, não só as pessoas e a forma como vive, como se relaciona, seus costumes, como também outros espaços geográficos, ecossistemas etc.

A narrativa é outro ponto forte do jornalismo de viagens. De acordo com o jornalista espanhol Mariano Belenguer Jané, com seu livro intitulado Periodismo de Viajes, análisis de una especialización periodística(2002), em que me baseio, esta especialização permite que o repórter tenha mais liberdade podendo escrever sobre suas impressões pessoais, mas sempre levando em conta a informação, já que se trata de jornalismo.

Assim como o texto, a fotografia também se difere no jornalismo de viagens e tem papel fundamental. Não se trata da típica postal que se costuma a tirar quando se visita um lugar como turista para enviar aos amigos, ou aquelas em que se tira com a família. No fotojornalismo de viagens os protagonistas não são os fotógrafos, os familiares ou o viajante, e sim as paisagens naturais ou urbanas, fotos de rostos anônimos e o cotidiano das pessoas, arquiteturas, conflitos, problemas sociais entre tantas outras.

Apesar da clara distinção entre o Jornalismo de Turismo e o de Viagens, aqui mencionada, este último também exerce o ato que faz com que as duas especializações existam: viajar. E as pessoas viajam por diversos motivos. O Jornalismo de Viagens acaba também por gerar turismo onde quer que seja, interferindo positiva ou negativamente no cotidiano das pessoas e dos lugares visitados.

Para saber mais sobre essa especialização, confira as entrevistas que fiz com dois grandes nomes da área. O brasileiro Luís Nachbin, idealizador do programa Entre Fronteiras, e o português Gonçalo Cadilhe.

Você pode ver a entrevista com Nachbin aqui, e com Cadilhe, clicando aqui.